PARÓQUIA SANTA CÂNDIDA 

Sacramentos



Batismo

1. "Um filho nos foi dado" (Is 9,5)


A Paróquia de Santa Cândida, por meio de sua Equipe da Pastoral do Batismo, acolhe e se alegra com vocês - pai, mãe, padrinho e madrinha - e quer, juntamente com os familiares, preparar com carinho o batismo de seu(a) filho(a), e/ou afilhado(a).
A vida é um presente de Deus: Vamos valorizá-la!

2. "Se conecesses o dom de Deus" (Jo 4,10)


Deus tem um "sonho" (plano) em relação a todos nós. Podemos sentir e perceber seu sinais na natureza, na experiência do Povo de Deus na Bíblia, na pessoa de Jesus Cristo, na Igreja e em nossa própria história pessoal.
A fé é uma graça de Deus e aceitação da sua presença em nossa vida: Vamos celebrá-la!

3. "Quem não nascer do alto não pode ver o Reino de Deus"(Jo 3,5)


A vida cristã começa no Batismo. É um novo nascimento. Uma incorporação a Cristo pela força do seu Espírito, dentro da Igreja.
As crianças são batizadas na "fé da Igreja". A “companhia de amigos” que é a Família de Deus se encarrega de cuidar do seu crescimento e amadurecimento na fé.
Quem é batizado busca viver a sua fé seguindo Jesus Cristo!

4. Alguns lembretes:


4.1. O cristão batizado começa a fazer parte do Povo de Deus, a Igreja!
O Batismo seja celebrado na própria comunidade. Na Paróquia Santa Cândida são realizados:
Matriz: 1º e 3º Sábados do mês às 15:00 horas
Guaracy: 3º Sábado do mês às 16:00 horas
Roça Grande: 1º Sábado dos meses pares às 16horas
Osasco: 2º Sábado às 16:00 horas
4.2. O Batismo tenha a sua preparação e inscrição!

É necessário fazer com antecedência a inscrição do Batismo. Onde?
Na Matriz: de segunda a sexta feira, na Secretaria Paroquial, em horário de expediente.
Nas Comunidades: nos dias das celebrações.
Junto com a ficha será necessário apresentar os seguintes Documentos:
  • Certidão de nascimento da criança;
  • Comprovante dos Encontros de pais e padrinhos.

4.3. As crianças são acolhidas com alegria na Comunidade Cristã.
A celebração do Batismo é realizada com a participação dos pais e padrinhos, animada pela Equipe Litúrgica e a Pastoral do Batismo.
4.4. Pais não casados na Igreja. Mães solteiras...
  • Os pais cristãos que não são casados na Igreja - quando podem - santifiquem a sua união conjugal com o amor de Cristo, celebrando o Sacramento do Matrimônio.
  • Os padrinhos tenham condições de ajudar os afilhados a crescer na fé. A questão da idade, do testemunho de vida cristã e da amizade contam muito.
  • As mães solteiras encaminham seus filhos ao Batismo assumindo a vida e a educação da fé dos mesmos.

5. TAXA DE BATISMO


O Batismo, como todos os outros sacramentos, é dom de Deus e não tem preço. A melhor maneira de corresponder ao Batismo é tendo uma participação real e efetiva na comunidade.
Hoje, para a sua manutenção e de suas atividades evangelizadoras, a Igreja propõe o Dízimo como uma contribuição espontânea, sistemática e justa para a própria Comunidade. É uma partilha do que se recebe de Deus; não daquilo que sobra, mas compromisso de fidelidade com Deus, com a Igreja e consigo mesmo. O Dízimo é uma expressão de fé daquele que participa e ama sua comunidade.


Confissão

...


Crisma

...


Eucaristia

...


Matrimônio


1. A PREPARAÇÃO:


Além do expediente documental aos cuidados da secretaria paroquial, a celebração do matrimônio cristão deve ser precedida de uma digna preparação do casal nubente, estaconstando de dois estágios: preparação próxima e preparação imediata.
a. Preparação Próxima
Neste estágio os noivos frequentam o Encontro de Noivos (tradicionalmente chamado curso de noivos), segundo o método personalizado formando grupos de 2 (dois) até 4 (quatro) casais, a ser aplicado em ambiente familiar sob a orientação de um ou até mais casais cristãos devidamente credenciados pelo pároco e Conselho Paroquial. 1.1. Programa do Encontro de noivos
  • Carga horária: 15 (quinze) horas;
  • Número de reuniões: 5 (cinco);
  • Duração das reuniões: 3 (três) horas (aproximadamente);
  • Temas essenciais;
  • a condição humana do casal ideal;
  • o amor conjugal;
  • o diálogo no relacionamento conjugal;
  • a economia do cotidiano da vida no lar cristão;
  • a sexualidade conjugal – aspectos vivenciais;
  • planejamento familiar: planejamento natural da família – com o Método de Ovulação Billings;
  • planejamento familiar: constituindo a família e a Igreja doméstica;
  • os sacramentos – introdução geral;
  • o sacramento do matrimônio;
  • os aspectos jurídico-canônicos do matrimônio.

1.2. Prazos
O Encontro de Noivos, preferencialmente, deve ser realizado com boa antecedência em relação à data idealizada para o casamento, independentemente mesmo de marcação de data para a celebração do matrimônio. Assim, a preparação próxima dos jovens fará compreender que o empenho que vão assumir dando o seu consentimento “diante da Igreja”, exige já no período do noivado que inicie — abandonando, se tal for o caso, práticas contrárias — um caminho de fidelidade recíproca. Este empenho humano será valorizado pelos dons específicos que o Espírito Santo concede aos noivos que o invocam.
1.3. Períodos e inscrições
Os períodos possíveis para realização do Encontro de Noivos vão do mês de fevereiro a novembro anualmente (não são realizados Encontros nos meses de janeiro e dezembro), cujas datas e início são divulgadas pela secretaria paroquial, onde, também, são realizadas as necessárias inscrições prévias.
b. Preparação Imediata
A preparação imediata para o sacramento do Matrimônio encerra o remate de uma catequese que ajude os noivos cristãos a percorrer de novo, conscientemente, o seu itinerário sacramental. A preparação litúrgica do sacramento do Matrimônio deve valorizar os elementos rituais atualmente disponíveis.
Esta preparação insere o casal nubente no conhecimento das normas que regem a digna celebração sacramental. Nela, além de se aprofundar a doutrina cristã sobre o matrimônio e a família, os nubentes devem ser ajudados a tomar parte consciente e ativa na celebração nupcial, de um modo que os conduza a uma perfeita compreensãodos significados e simbolismos dos textos litúrgicos.
A preparação imediata constará, além da conclusão da formalização do processo e do juramento do casal com o ministro ordinário, de uma reunião envolvendo os noivos e, sempre que possível, representantes dos profissionais eventualmente contratados pelos mesmos (cerimonial, decoração, música e fotografia e filmagem) com a Pastoral Familiar paroquial, quando então será preparada a liturgia e passadas as orientações necessárias em relação ao espaço e momento celebrativos.

2. A CELEBRAÇÃO SACRAMENTAL


A celebração sacramental do matrimônio na Paróquia Santa Cândida segue as diretrizes baixadas pelo Diretório Arquidiocesano, datado de 03/11/13.
Quando da realização da Preparação Imediata, se dará aos nubentes o pleno conhecimento destas Diretrizes, munindo-os, inclusive, do subsídio específico “Rito da Celebração do Matrimônio”, de modo a serem previamente conscientizados de todo o conteúdo ritual da dinâmica celebrativa.
a. A procissão de entrada
O rito da procissão de entrada é composto por um conjunto de símbolos (uma Igreja peregrina, um caminhar em busca da plenitude, em busca do Reino prometido), onde o principal deles é andar. Saliente-se de que se trata de uma ação ordenada, que flui harmonicamente, sem pausas nem interrupções. “O constitutivo teológico do sacramento do matrimônio é o pacto conjugal, ou seja, o mútuo consentimento, mediante o qual, os cônjuges se doam e se recebem mutuamente. Este constitutivo teológico deve ser salvaguardado, desde a entrada dos noivos no templo. Como os próprios noivos exercem uma função ministerial consciente e plenamente capazes de assumir sua decisão, o sacramento do matrimônio não exige a presença de padrinhos e sim, de duas testemunhas (Catecismo da Igreja Católica, no 1108, parágrafo 1o) que presenciem e testemunhem a realização do rito sacramental respeitando-se a livre decisão e plena liberdade dos cônjuges. Após o rito sacramental, as testemunhas devidamente qualificadas, deverão assinar a ata que comprova a realização do sacramento do matrimônio”. “Como o matrimônio é o sacramento que funda a família cristã, para que esta realidade se torne visível, os pais dos noivos poderão tomar parte na procissão de entrada. Nada poderá empobrecer, diminuir ou ofuscar a prioridade da entrada do noivo e a seguir da noiva que, como fiéis batizados vêm em busca do sacramento do matrimônio”.
“Na procissão de entrada poderão tomar parte:
  • dois casais que serão testemunhas da realização do rito do matrimônio;
  • os pais do noivo e da noiva;
  • o noivo;
  • dois pajens que entrarão acompanhando a noiva”.

b. A liturgia da Palavra
A proclamação da Palavra de Deus seja feita por leitores idôneos e preparados. Podem mesmo ser escolhidos entre os presentes, especialmente entre as testemunhas, os familiares, os amigos, porém não parece oportuno que sejam os próprios nubentes: eles são de fato os primeiros destinatários da Palavra de Deus proclamada. Mas a escolha das leituras pode ser feita de acordo com os noivos. Desse modo guardarão mais facilmente a Palavra de Deus para a traduzir na prática.
Primeira leitura: (por leigo convidado pelos noivos ou membro da equipe de celebração)
opções:
  • Gn 1, 26-28.31a
  • Gn 2, 18-24
  • Gn 24, 48-51.58-67
  • Tb 7, 6-14
  • Tb 8, 4b-8
  • Pv 31, 10-13.19-20.30-31
  • Ct 2, 8-10.14.16a; 8, 6-7a
  • Eclo 26, 1-4.16-21
  • Jr 31, 31-32a.33.34a
  • Rm 8, 31b-35.37-39
  • Rm 12, 1-2.9-18
  • Rm 12, 1-2.9-13
  • Rm 15, 1b-3a.5-7.13
  • 1Cor 6, 13c-15a.17-20
  • Ef 4, 1-6
  • Ef 5, 2a.21-33
  • Ef 5, 2a.25-32
  • Fl 4, 4-9
  • Cl 3, 12-17
  • Hb 13, 1-4a.5-6b
  • 1Pd 3, 1-9
  • 1Jo, 3, 18-24
  • 1Jo 4, 7-12
  • Ap 19, 1.5-9a

Salmo responsorial(deve ser cantado)
Opções:
  • Sl 32(33), 12 e 18.20-21.22
  • Sl 33(34), 2-3.4-5.6-7.8-9
  • Sl 102(103), 1-2,8 e 13.17-18a
  • Sl 111(112), 1-2.3-4.5-7a.7bc-8.9
  • Sl 127(128), 1-2.3.4-5
  • Sl 144(145), 8-9.10 e 15.17-18
  • Sl 148, 1-2.3-4.9-10.11-13ab.13c-14a

Aclamação ao Evangelho(deve ser cantada)
Opções:
  • 1Jo 4, 7b
  • Cf. 1Jo 4, 8b e 11
  • 1Jo 4, 12
  • 1Jo 4, 16

Evangelho (proclamado pelo ministro consagrado)
Opções:
  • Mt 5, 1-12a
  • Mt 5, 13-16
  • Mt 7, 21.24-29
  • Mt 7, 21.24-25
  • Mt 19, 3-6
  • Mt 22, 35-40
  • Mc 10, 6-9
  • Jo 2, 1-11
  • Jo 15, 9-12
  • Jo 15, 12-16
  • Jo 17, 20-26
  • Jo 17, 20-23


c. O Rito sacramental
O Rito Sacramental segue o prescrito no Diretório Arquidiocesano, em seus artigos 143 a 148 e constantes do subsídio específico “Rito da Celebração do Matrimônio”, previamente repassado.

3. ORIENTAÇÕES NECESSÁRIAS AOS DIFERENTES PROFISSIONAIS


Os diferentes profissionais, normalmente contratados para prestar sua assistência e serviço aos noivos (cerimonial, foto e filmagem, músicos, etc), merecem da Igreja e equipes de celebração, o devido respeito. Todavia, algumas normas se fazem necessárias para que todos possam desempenhar suas funções de modo pacífico e tranquilo, evitando os conflitos que só acarretam desgastes.
Faz-se necessário compreender e distinguir muito bem, o exercício de sua profissão num salão de festas ou restaurante, do exercício de sua profissão numa igreja, durante a celebração de um ato sagrado como o sacramento do matrimônio.
Logo, celebrações que antecedem ao casamento devem ser respeitadas até o seu encerramento sem perturbação ou movimento preparatório do seu trabalho profissional. Também, durante a celebração objeto do seu trabalho, não podem ser formados grupos para conversas, pois tal atitude agride a santidade e a dignidade da celebração.
Faz-se, também, importante que os profissionais conheçam os espaços litúrgicos de um templo católico: átrio, nave e presbitério. Acima de tudo, respeite-se o presbitério, lugar de destaque, onde se situam o altar, o ambão e a sede. O altar não é simplesmente “um móvel”, mas sim um lugar simbólico, consagrado unicamente para a celebração da eucaristia. O ambão é a mesa da proclamação da Palavra de Deus. A sede é o espaço destinado ao ministro em seu ministério de presidência da assembleia celebrante.
Nada poderá obscurecer ou impedir a boa visão destes lugares simbólicos situados no presbitério. Nada se coloque sobre o altar, não se retire o ambão ou a sede de seus respectivos lugares. O presbitério é o “lugar do presbítero” e o acesso a ele pelos fiéis leigos deve se dar unicamente para o exercício de uma função litúrgica enquanto esta durar. Terminada sua função, o fiel leigo deve retornar à nave.
A decoração deverá ser sóbria e haverá uma única ornamentação para os matrimônios celebrados no mesmo dia. A prioridade da ornamentação caberá aos noivos que primeiro reservarem o horário na secretaria paroquial. Reclamações e conflitos entre noivos, a respeito da ornamentação, deverão ser tratados e resolvidos diretamente com a floricultura responsável.
A atuação dos profissionais do cerimonial cessa com a entrada dos noivos e recomeça após a conclusão do rito do matrimônio, que é a bênção do envio, quando os noivos deixam o genuflexório. Ao permanecerem no interior da igreja, respeitem a dignidade da celebração.
Profissionais de fotografia e filmagem não devem fotografar ou filmar em movimento, durante a proclamação da Palavra e a homilia, bem como durante o rito sacramental do matrimônio. Nos demais momentos o trabalho deverá se dar com movimentos discretos, sem chamar a atenção dos que estão participando.
Os profissionais músicos e de canto, poderão exercer seu ministério: na procissão de entrada, após a entrega das alianças, durante a comunhão dos noivos, durante as assinaturas da ata e no acompanhamento da saídaso os a dos noivos. Nos demais momentos da celebração, nem mesmo fundo musical se permite.
“A música é um dom divino e deverá ser exercido como um ministério, um serviço para o bem de todos. De modo especial a música e o canto durante a realização de um ato sagrado são para ressaltar a dignidade do ato celebrado, jamais para atrapalhar ou dificultar a sua digna celebração”.Não se executem músicas ou cantos estranhos ao rito do matrimônio ou aos costumes da fé cristã, tais como temas de filmes, de novelas, MPB (Música Popular Brasileira), para não desvirtuar a dignidade e santidade do Matrimônio, pois não foram compostos para esta finalidade.”
Caso os noivos optem pela não contratação de músicos profissionais, a Paróquia disponibiizará seus meios para sonorização mecânica da celebração, inclusive a própria operação do respectivo equipamento, sem custo adicional aos nubentes.
A Arquidiocese de Curitiba oferece cursos a respeito da teologia e dos ritos sacramentais aos profissionais das áreas de cerimonial, floricultura e decoração, músicos, foto e filmagem, a fim de melhor capacitá-los para o exercício de sua profissão durante as celebrações.


Unção dos enfermos

...